O Fusca no Mundo

Tudo começou em 1932 quando o governo de Adolf Hitler decidiu criar um carro "popular" e colocou esta obrigação nas mãos do engenheiro Ferdinand Porsche (criador dos Porsches). O fusca foi o primeiro carro mundial depois do Ford "Bigode" modelo T.

Para seu criador o Fusca teria que ser um veículo com velocidade máxima de 100 Km/h, ser capaz de enfrentar subidas com 30% de elevação, com consumo médio de 12,5 Km/l de gasolina e que não poderia custar mais de mil marcos, segundo as exigências do governo de Hitler. Depois de dois carros experimentais, um conversível e um sedan, foram construídos os três primeiros fuscas numa garagem-oficina na própria casa de Porsche em Stuttgart, e foram chamados Volksauto (carro do povo). que mantém as mesmas características de hoje: tinham motor traseiro de quatro cilindros opostos dois a dois, refrigeração a ar, tração traseira, suspensão independentes nas quatro rodas com barras de torção, distância entre eixos de 2,5 m, bitolas de 1,2 m e um peso de 650 Kg.

Até 1937 foram feitos testes com o automóvel, observando-se que era muito resistente. Em 1938 começou-se a produção em uma fábrica em Wolfsburg, logo paralisada para atender os interesses da guerra, produzindo veículos militares, como anfíbios, jeeps, baseados na mecânica do Fusca. Em 1945, quando a guerra acabou de depois de produzir 70.000 veículos militares ela estava em ruínas, ninguém se interessava por aquela indústria, a não ser uma empresa britânica, que passou a usar suas instalações para manutenção de veículos e iniciar mais tarde uma pequena produção do Fusca.

Após a guerra, em 1946, reinicia-se a produção do Fusca e neste ano já temos 10.000 exemplares circulando. Em 1948, 25.000 e alguma unidades já nos Estados Unidos, onde a produção estourou criando uma nova era na história do automóvel. Em 1949, já eram 50.000 Fuscas, e este número aumentou ainda mais, tanto que em 1972 tínhamos mais de 15.000.000 de unidades. Estima-se que o número tenha chegado a mais de 30.000.000 de unidades. Em 1959, o Fusca começa a ser fabricado no Brasil (modelo com duas janelinhas pequenas atrás). Já em 1961 a janela era unificada e, mais tarde, aumentada, única modificação que o melhor projetista de carros da época conseguiu fazer (segundo ele, o Fusca era "perfeito desde o nascimento"). Em 1986 teve sua fabricação paralisada para ser reiniciada em 1994 e terminada, por vezes, em 1996. Em 1998, foi retomada a fabricação do Fusca, remodelado e com motor 2.0 16 válvulas, bem diferente do motor 1200 que equipava as primeiras unidades.

No Salão de Detroit, em 1994, aparece uma nova versão de um velho carro. É o Concept 1, um "carro de sonho", um redesenho do clássico Fusca. O Concept 1 saiu dos computadores de projetistas da Califórnia, não por acaso perto de Silicon Valley, o Vale do Silício americano, onde surge tudo de novo na área de informática. No mesmo Salão de Detroit, exatamente quatro anos depois, chega a hora do lançamento do New Beetle feito no México. É o próprio Concept 1, com algumas modificações, que está virando carro de série e já entrou no mercado norte-americano e canadense. Com o New Beetle, a Volkswagen mais uma vez revoluciona o mercado. O raciocínio foi brilhante: o perfil e as linhas básicas do velho Fusquinha permaneceram, mas com um toque de sofisticação e modernidade.

A semelhança entre o velho Fusca e o New Beetle termina no design. É tudo diferente. A começar do motor, que pulou da traseira para a dianteira. Outro diferencial é o conforto oferecido aos ocupantes. O interior do New Beetle não lembra em nada o do velho Fusca. A comodidade dos bancos dianteiros - que contam até com aquecimento - chamam a atenção. O acabamento eu couro dos bancos, o painel e o teto solar elétrico impressionam pela beleza e funcionalidade. Diferenças a parte, é no desempenho que o New Beetle se distancia ainda mais de seu antepassado. Só para se ter uma idéia, o Beetle é montado na mesma plataforma do Golf 2.0 e do Audi A3. Dos poderosos irmãos, o besouro também herdou o motor 2.0, de 116 cv e 1984 cc, capaz de atingir a uma velocidade máxima de 181 km/h. Na arrancada, o novo Fusca se aproveita da tração, agora dianteira, para conseguir a marca de 11,4 segundos de 0 a 100 km/h. A verdade é que o New Beetle tem a mesma simpatia do antigo fusca, mas carrega consigo um algo mais: tecnologia.

5 comentários:

Luiz Iargas disse...

muito bom o seu blog, mas nessa materia "O Fusca no Mundo" há alguns erros, "Em 1959, o Fusca começa a ser fabricado no Brasil (modelo com duas janelinhas pequenas atrás)" começou a ser fabricado no brasil mas ja com a janela do Oval segunda edição, o modelo split deixou de ser fabricado em 1953 dando inicio a produção do oval q ue foi até 1957, quando começou a ser fabricado o Oval segunda edição. "Já em 1961 a janela era unificada e, mais tarde, aumentada, única modificação que o melhor projetista de carros da época conseguiu fazer (segundo ele, o Fusca era "perfeito desde o nascimento")." em 1953 janela foi unificada. e em 1957 ficou maior.

abrços

Tiago Jaime Machado disse...

olá luiz, obrigado pelos elogios.
o texto foi retirado do livro: o fusca no brasil.

eu tenho o livro aqui em algum lugar :P

Luiz Iargas disse...

ok, não leve a mal mas é que eu pesquiso a história do fusca ja faz mais de 5 anos, eu tenho 2 um 1952 e 1959.

Tiago Jaime Machado disse...

sinta-se a vontade para usar este espaço para publicar seus artigos, imagens e recomendações de links.

abs.

redpogo@gmail.com <<

Luiz Iargas disse...

ok abrços